Santos F.C × na web de torcedores da Santos F.C.
Santos F.C
A rede social de torcedores do
Santos F.C

Ele saiu do Santos e foi tentar a sorte no Milan. Hoje, joga por universidade nos EUA

epeixe Por epeixe

em 10-08-2017 às 22:37

Victor Cervantes jogou na base do Santos
Victor Cervantes jogou na base do Santos

Victor Hugo Cervantes Clemente tinha o sonho de ser jogador de futebol profissional em grandes clubes do Brasil ou até mesmo da Europa. Em 2007, ele deu um passo importante para conseguir o que tanto desejava.  

Depois de começar em escolinhas na Zona Norte de São Paulo, o atacante foi para um time de várzea chamado Atlas.

E em uma partida contra o Santos, recebeu o convite para integrar as categorias de base na Vila Belmiro.  

"Quando eu cheguei não sabia sobre a grandeza do clube. De estar lá dentro e vestir a camisa. Foi uma experiência muito grande e importante. Tudo que vivi por lá e aprendi eu uso até hoje no futebol. Joguei muitos torneios na base como Paulista, que fui bicampeão, Copa do Brasil e Copa Nike", falou ao ESPN.com.br. 

O jovem foi colega de jogadores como Neílton, Victor Andrade e Emerson Palmieri.

“Joguei várias vezes ao lado do Gabigol. Por muitas vezes eu fui titular e ele reserva. Foi muito bom ter jogado com ele e com todos os outros. Desejo toda sorte para eles”, recordou.

  • Quase no Milan

Após cinco anos na base do Santos, porém, Victor foi mandado embora pelo Santos no começo de 2012.

“Foi bem complicado porque não foi uma decisão minha. O clube não quis me aproveitar e fui dispensado. Mas prometi para mim mesmo que era uma injustiça muito grande. Ia correr atrás e mostrar do que era capaz”, afirmou.

Victor foi tentar a sorte na Itália ao lado da mãe. “Fiz avaliações no Padova, Parma e Cesena. Fui aprovado em todos. Por último, me levaram ao Milan. Eu arrebentei nos dois treinos e o treinador veio conversar comigo. Disse que me queria por lá e achei que iria ficar”, disse.

ARQUIVO PESSOAL
Victor fez testes na Itália
Victor fez testes na Itália

Só que destino do brasileiro não seria na equipe rossonera.
“O clube ia jogar uma competição em Amsterdã, na Holanda.  Na hora da negociação, os empresários que me levaram não souberam administrar corretamente a situação. Acabou dificultando para mim e não foi o que nós esperávamos. Eu era menor de idade e fui com a minha mãe”, contou. 

“Eu voltei ao Brasil e fui para a base do Corinthians. Estava muito bem, pronto para assinar o contrato, mas um grupo de empresários mudou tudo. Nisso, o clube rasgou o contrato na hora”, lamentou.

Desanimado, o atacante foi fazer avaliações em Figueirense e Avaí, porém, sem sucesso.

“Eu não estava com a cabeça para ir para Santa Catarina, mas ninguém entendeu. Queriam tudo para ontem. Eu ainda acreditava no sonho e fui para uma escolinha em Osasco para jogar. Não podia ficar parado”.

Após fazer alguns amistosos pela equipe, ele foi jogar pelas categorias de base do Penapolense, no interior de São Paulo.

“Joguei o Paulista Sub-20 e a Copa São Paulo, mas fomos eliminados na primeira fase. No final do ano, todo mundo acabou dispensado”.

Em 2014, Vitor jogou pelo Rio Claro, mas também não conseguiu ter sequência. Depois disso, ele tirou cidadania italiana e fez testes por cinco meses na Itália, em 2015. Ao voltar ao Brasil, foi trabalhar no Lausane, time amador de São Paulo.

  • Recomeço nos EUA

“Quando voltei para minha casa achei que já tinha acabado. Conversei com a minha prima sobre fazer intercâmbio esportivo nos Estados Unidos, mas não estava querendo tanto. Estava tão triste com o futebol que não quis. Mas depois, falei com meus pais que sempre me apoiaram”.  

 Em 2016, Victor começou a trabalhar para a MVP Exchange, uma empresa de intercâmbio esportivo e teve a chance de retomar sua carreira. Em pouco tempo de preparação, ele ganhou uma bolsa integral para estudar na Truett McConnell University, no estado da Georgia, nos Estados Unidos.

“Não queria ir no começo, mas conheci o pessoal da empresa e vi que valia a pena. Falei com meus pais. A proposta da universidade era muito boa e fui”, declarou.

Atualmente, o jovem de 22 anos está no primeiro semestre de gestão esportiva e ao mesmo tempo joga futebol pela faculdade.

“Estou muito feliz porque comecei os treinos muito bem. Estou nessa luta de um sonho de tanto me formar como universitário e ser jogador. É uma universidade muito boa e abraça muito a parte educacional e esportiva. Ainda tenho sonho de ser jogador profissional e jogar a Major League Soccer [principal liga de futebol dos Estados Unidos]. É o meu maior objetivo hoje”, finalizou.

Assista os vídeos do Peixe! 

Veja os álbuns de fotos! Musas, torcida, jogadores e muito mais AQUI!

 

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Fonte: Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br Publicado em 10/08/2017, 07:00
Sua comunidade,
no seu celular
1 VOTOS

Obrigado/a por colaborar conosco. Comprovaremos a notícia denunciada e atuaremos em conseqüência.

Novos comentários

Deseja participar desta seção?

- Se você já está registrado, entre.

Se ainda não está registrado em semprepeixe.com.br: